Treinamentos corporativos dão resultado?

[Pra cego ver] Prancheta e fita métrica sobre fundo azul-piscina e rosa

[Pra cego ver] Prancheta e fita métrica sobre fundo azul-piscina e rosa

O ROI (sigla do inglês que significa retorno sobre investimentos) de um treinamento corporativo ou profissional não pode ser medido apenas por réguas financeiras. A organização ou as lideranças devem ser objetivas quanto à finalidade do treinamento: o ponto em que a equipe/ profissional se encontra e o que se quer alcançar devem ser claros, para maior assertividade na ação e, também, maior facilidade em mensurar resultados e evoluções. Mas estes podem ser traduzidos em engajamento, motivação, produtividade, bem-estar da equipe, muito além de aumento em vendas ou lucro aferido pela empresa. A dimensão da performance atingida vai depender do tipo de treinamento adotado (aprendizagem ou desempenho) e dos objetivos pretendidos.

Outro ponto importante é o alinhamento de expectativas com os colaboradores/ profissional. Se o objetivo de um treinamento é maior motivação ou bem-estar da equipe/ profissional, por exemplo, é preciso ouvi-los antes e depois do programa, pois existe aí um nível de subjetividade que precisa ser aferido e compreendido.

Dados da Association for Talent Development (ATD) mostram que treinamentos personalizados melhoram a produtividade e outros resultados da equipe em mais de 200%. Já com relação a engajamento, com o investimento em treinamentos garante melhorias em 74% das empresas com esse tipo de programação.

Trata-se de um estudo realizado em 2018 em empresas de 17 países, acessível neste link www.ef.com/global-fluency. Seja personalizada ou não, essa ação corporativa garante, também, segundo mesmo estudo, crescimento pelo menos 5% maior em relação a empresas que não realizam treinamentos.

Sharing is caring!