Acessibilidade Web ainda é pequena

[Para cego ver] Imagem traz montagem em cores neon com figuras humanas e elementos relacionados a compras ao redor de uma tela de computador mostrando um site de e-commerce

[Para cego ver] Imagem traz montagem em cores neon com figuras humanas e elementos relacionados a compras ao redor de uma tela de computador mostrando um site de e-commerce

Data de 2008 o lançamento de guidelines oficiais dos comitês de governança web para tornar a internet mais acessível para pessoas com deficiência. O documento conhecido como WCAG teve pouca aderência dos usuários. Em mais de um milhão de sites, entre os mais populares, 98,1% ainda contêm problemas que impossibilitam a usabilidade plena pelo público com deficiência.

Entre sites brasileiros, o Movimento Web para Todos avaliou 14,65 milhões de endereços no país e concluiu que apenas 0,74% atendem a todas as diretrizes do WCAG. Os sites de e-commerce estão em maioria entre os que não chegam a 1% de de adequação.

As companhias perdem dinheiro: estudo do Reino Unido estimou que o abandono de sites inacessíveis na hora da compra representa pelo menos 10% do faturamento comercial na internet britânica, ou quase 80 bilhões de Libras. Estima-se que no Brasil esse percentual seja equivalente.
(Dados de 2020)